O sono, função fisiológica de grande importância para a criança, contribui na sua saúde como um todo. A boa qualidade de sono é aquela que supre as necessidades no que toca à quantidade de horas dormidas, com a criança acordando sem dificuldades, e permite que, no período seguinte de vigília, ela sinta-se descansada e em boas condições de funcionamento mental, com desempenho satisfatório de suas funções cognitivas de memória e atenção.

Distúrbios relacionados ao sono

Nas crianças pequenas, doenças como otites, distúrbios respiratórios, ou outras que provoquem dor e desconforto podem afetar o sono por tempo limitado.

A alergia ao leite de vaca causa despertares freqüentes, com ciclos de sono curtos.

A doença do refluxo gastro-esofágico costuma acordar a criança por dor, e a dor é aliviada quando se retira a criança do berço.

A Síndrome de apnéia / hipopnéia do sono é causada principalmente por patologias otorrinológicas ou por obesidade, que levam a criança a apresentar apneia e/ou hipopnéia, alterando a arquitetura do sono e prejudicando até mesmo o rendimento escolar.

A prevenção consiste no diagnóstico e tratamento dessas afecções médicas que têm repercussão no sono.

Orientações gerais para prevenção de distúrbios de sono:

 

O sono é um processo aprendido, associado ao ritmo do dia e da noite e às condutas dos familiares em relação às rotinas para o sono da criança;

É interessante que se repita um mesmo horário para dormir diariamente. O organismo se habitua aos horários, que se tornam rotina. As crianças são sensíveis às rotinas estabelecidas, trazendo para eles tranqüilidade para dormir.

Devem-se evitar atividades que excitem a criança perto da hora de dormir; como exemplo: visitas, brincadeiras, som alto, televisão, entre outros.

Desencorajar o hábito de dormir na cama dos pais, pois assim seu filho se habituará a só adormecer na presença dos pais. Esta atitude, no início parece facilitar o sono da criança, mas traz muito trabalho para ser retirada.

É aconselhável que o bebê seja exposto à claridade do sol entre as 10h e as 15h; marcar a diferença entre a claridade do dia e o escuro da noite favorece a consolidação do sono noturno;

Em nosso meio, é freqüente o hábito de oferecer mamada durante a noite. A criança que já teria condições de amadurecimento de seu relógio biológico para uma noite de sono consolidado, pode passar a despertar em virtude do ritmo de fome que se estabelece, pois ela se habitua a despertar naqueles horários. Portanto, a orientação deve ser de eliminar a alimentação durante a noite.

Dormir no ambiente escuro é o mais adequado;

Eliminar desconforto físico (dor, temperatura ambiente);

O ambiente deve ser confortável, familiar e sem ruídos;

Evitar utilizar o berço para brincadeiras e alimentação durante o dia;

Adotar um ritual para dormir de acordo com a dinâmica familiar, sendo prazeroso para todos.

Como regra de ouro: a criança deve habituar-se a adormecer sem a presença dos pais. Assim, quando ela acordar durante a noite, terá habilidade para adormecer sem a ajuda dos pais.